JG INFORMÁTICA

Recarga de toner de impressora HP, SAMSUNG e manutenção de TECLADOS DE NOTEBOOK,

além de manutenção em geral é com a JG INFORMÁTICA.

Entre em contato pelo fone: (83) 9 8115-7098.

Org. Jailson Galdino

Horóscopo diário

15 de novembro de 2016

Transferências 2017 - as principais mudanças no ciclismo de estrada

Com o fim da temporada 2016 e quase todas as grandes transferências já realizadas, chegou a hora de analisar o prognóstico para a temporada 2017 do pelotão profissional de ciclismo de estrada.
Alberto Contador. Tinkoff para Trek-Segafredo
Depois de ensaiar sua aposentadoria no começo deste ano, o Pistoleiro fechou contrato com a Trek-Segafredo, ex-equipe do agora aposentado Fabian Cancellara. Depois de um adeus um tanto quanto conturbado de Oleg Tinkov, que alegou publicamente não gostar de Contador, o espanhol terá um contrato de um ano - expansível para dois - para tentar vencer o Tour de France.

Na equipe, Contador terá como companheiro o holandês Bauke Mollema, formando uma dupla que tem boas chances de apimentar a prova, dificulto do trabalho de Froome e Quintana. Resta saber se o Pistoleiro ainda tem as pernas, e a calma para evitar tombos, para superar seus rivais.
Peter Sagan - Tinkoff para Bora-Hansgrohe
O bi-campeão mundial, eterno favorito a camisa verde do Tour e especialista em clássicas Peter Sagan estará de casa nova em 2017, com um contrato estimado em 6 milhões de euros assinado com a Bora-Hansgrohe.

Na nova equipe, Sagan deverá disputar a atenção dos gregários com Rafal Majka e Leo Konig, Porém, como ambos estão focados na classificação geral de grandes voltas, o eslovaco provavelmente terá uma boa equipe montada ao seu redor - até porque, a grande estrela continua sendo ele.

Mais uma vez, Sagan deverá focar sua temporada nas provas clássicas, na camisa verde do Tour de France e no Mundial de Ciclismo, que este ano acontece na Noruega.
John Degenkolb - Giant Alpecin - Trek Segafredo
Depois de perder boa parte da temporada 2016 por conta de um grave acidente no começo do ano, o alemão John Degenkolb vai para a Trek Segafredo para assumir a posição que antes era de Fabian Cancellara na disputa pelas provas clássicas.
Vincenzo Nibali - Astana - Bahrain Merida
O Tubarão de Messina é a grande estrela da Bahrain Merida, equipe que estreia na próxima temporada. Ano que vem, o italiano deverá focar seus esforços da defesa de seu título de camisa rosa na centésima edição do Giro.

A equipe, projeto pessoal de Nibali, será "uma grande família que trabalhará em conjunto", segundo o próprio italiano. Para concluir esta missão, ele terá a sua disposição nomes como Ion Izaguirre Insausti, Giovanni Visconti e Joaquim Rodriguez - todavia, o time ainda não informou sua programação para a próxima temporada.
Ion Izaguirre - Movistar para Bahrain Merida
Com Nibali focado no Giro, Izaguirre ganha a possibilidade de tentar sua sorte no Tour de France. Porém, o ciclista espanhol terá que disputar as atenções com Joaquim Rodriguez, outro que prometeu se aposentar no fim desta temporada mas não resistiu aos dólares do oriente médio.

Vale lembrar que o Izaguirre já venceu o Tour da Polônia e chegou em segundo do Tour da Suíça, além de ter obtido algumas vitórias em etapas de grandes voltas. Com 27 anos, sair da sombra de Quintana e Valverde na Movistar pode ter sido uma boa cartada.
Philippe Gilbert - BMC para QuickStep
O especialista em clássicas Philippe Gilbert, de 34 anos, está entrando na reta final de sua carreira. Com o campeonato Belga de 2016 no bolso e alguns bons resultados no começo do ano, o ciclista sofreu com doenças e não teve um desempenho brilhante este ano - alias, Gilbert não anda muito bem desde que entrou na BMC.

Na QuickStep, ele estará acompanhando de uma das maiores estrelas das clássicas de todos os tempos, o também belga Tom Boonen, que está há algum tempo tentando encontrar a forma depois de sofrer com muitos tombos, tendo ficado inclusive afastado por conta de uma pancada grave na cabeça.
Tony Martin Etixx-QuickStep para Katusha
O monstruoso especialista em contra relógios alemão também está de casa nova depois de cinco temporadas na belga Etixx-QuickStep - tempo suficiente para colecionar 35 vitórias, tendo inclusive vestido a amarela no Tour.

Em sua nova equipe, ele deverá continuar sendo peça chave no final de etapas planas, onde sua potência é ideal para embalar velocistas. O foco em provas de um dia e contra-relógios obviamente deverá continuar.
Roman Kreuziger - Tinkoff para Orica-BikeExchange
Depois de trabalhar muitos anos na proteção de Alberto Contador na Tinkoff, Kreuziger deverá servir de gregário para Esteban Chaces e para os Yates em grandes voltas em sua nova equipe. Porém, o décimo lugar no último Tour conquistado depois do abandono de Contador mostra que ele tem capacidade para mais.

Fonte: Pedal.com.br

Nenhum comentário :
Write comentários

Todo e qualquer conteúdo publicado nos comentário do Actual Esporte é de total responsabilidade de quem os aferir.