JG INFORMÁTICA

Recarga de toner de impressora HP, SAMSUNG e manutenção de TECLADOS DE NOTEBOOK,

além de manutenção em geral é com a JG INFORMÁTICA.

Entre em contato pelo fone: (83) 9 8115-7098.

Org. Jailson Galdino

Horóscopo diário

15 de maio de 2017

Apesar da falta de entrosamento, Schülle aprova a estreia dos novatos do Belo

Técnico do Botafogo-PB escalou o time com Dico e Alyson de titulares e ainda colocou Patrick Mota no segundo tempo do empate sem gols contra o Cuiabá, pela estreia na Série C.

A estreia do Botafogo-PB na Série C do Campeonato Brasileiro, nesse domingo, marcou também a estreia de três jogadores com a camisa alvinegra. O atacante Dico e o lateral-esquerdo Alyson foram titulares contra o Cuiabá, e o meia Patrick Mota entrou em campo já no segundo tempo da partida no Almeidão. Apesar de admitir a falta de entrosamento desses jogadores com o restante do elenco, o técnico Itamar Schülle avaliou positivamente a atuação dos três no empate sem gols com os mato-grossenses.
Da beira do campo, Itamar Schülle vê e orienta as atuações dos novatos do time contra o Cuiabá (Foto: Hévilla Wanderley / GloboEsporte.com/pb)

O treinador botafoguense explicou a opção que fez por começar com Alyson no time titular, no lugar de Jadson, que atuou bem na reta final do Campeonato Paraibano. Para ele, as características ofensivas do novo reforço para a lateral esquerda o credenciaram a começar jogando, já que o Belo jogava em casa e precisava ir para cima.

- O único lateral mais ofensivo que nós temos é o Alyson. O outro lateral que nós temos é o Jadson, que é um jogador mais defensivo. Então, jogando em casa, eu preciso usar um jogador que nós contratamos com essas características. No meu modo de ver, ele foi bem, enquanto não tomou uma pancada e teve que sair, sentindo o tornozelo. Mas fez um bom jogo - avaliou Schülle.

Alyson chegou a irritar um pouco a torcida em alguns momentos nos quais desacelerava a subida ao ataque. Mas, de maneira geral, procurou apoiar o setor ofensivo do time por aquele lado do campo. E foi justamente no seu lugar, aos 30 minutos do segundo tempo, que entrou outro dos estreantes do time. O meia Patrick Mota começou no banco e ficou em campo nos 19 minutos finais da partida. Com o jogo truncado, ele acabou encontrando dificuldades para abrir espaços em meio à defesa do Cuiabá, que estava bem fechada lá atrás.
Alyson tentou apoiar bastante o ataque lá pela esquerda (Foto: Hévilla Wanderley / GloboEsporte.com/pb)

O outro estreante da noite doi o atacante Dico. Mesmo tendo sido o último a chegar - treinou apenas duas vezes com o time -, ele começou o jogo formando a dupla de ataque ao lado de Rafael Oliveira, já que o outro atacante titular, Fernandinho, ainda se recupera de lesão na coxa esquerda.

- O Dico da mesma maneira (que Alyson), se movimentando. A gente sabe do potencial do jogador - resumiu Schülle sobre o atacante.

E, de maneira geral, o técnico do Belo avalia que o entrosamento há de vir com a sequência de jogos. Ele se mostrou tranquilo quanto aos ajustes que vai precisar fazer nas primeiras partidas até que os jogadores se conheçam melhor e se entendam com mais facilidade dentro de campo.

- O entrosamento vai ser com treinos, mas, principalmente com jogos. Não tem outra maneira de entrosar uma equipe. Não temos um mês ou dois para fazer jogos-treinos, amistosos para entrosar o grupo. Vai ter que ser na conversa, num treinou ou outro e, claro, nos jogos. Os jogos vão dar entrosamento àqueles que estão chegando.

Entre os estreantes, Dico foi o que menos treinou e o que mais tempo ficou em campo no jogo contra o Cuiabá. Titular, ele só foi substituído aos 34 do segundo tempo, por Warley, na última alteração do time. Na primeira etapa, ele se movimentou bastante, buscando o jogo, o que deve ter agradado à torcida, que o aplaudiu na saída.

E a estreia parece ter agradado também ao próprio atacante, que se disse feliz por estar vestindo a camisa do Botafogo-PB. Ele reconheceu que a falta de entrosamento atrabalhou um pouco, mas se mostrou confiante num melhor rendimento nos próximos jogos.

- Eu estou muito feliz, o grupo me recebeu muito bem. Tentei ajudar bastante. Eu não estava jogando nesse esquema do professor, mas ele me passou bastantes informações, e os meninos também me ajudaram bastante. Eu vou melhorar bastante, no decorrer da semana. Eu treinei pouco: dois dias só, na sexta e no sábado. Mas eu vou treinar bastante para ajudar mais. Eu sou um jogador de lado, e o professor pediu muito para eu ajudar na marcação, e eu estava fazendo isso. Eu estava ajudando bastante. Não tive nenhuma chance de gol, mas tentei ajudar bastante no ataque, junto com Rafael e Sapé.
Com o Cuiabá muito recuado, Dico encontrou forte marcação no ataque (Foto: Hévilla Wanderley / GloboEsporte.com/pb


Sobre a partida em si, Dico sentiu a forte marcação do Cuiabá e a postura defensiva do adversário, que se fechou bem atrás, visivelmente jogando para não perder.

- Foi um jogo muito difícil. O adversário jogou o tempo todo atrás da linha da bola, com duas linhas de quatro, os atacantes voltando, dificultando um pouco a entrada da gente. Mas acho que foi um bom jogo. Faltou o gol. A gente até fez o gol, mas o juiz anulou, mesmo sem ter impedimento, sem ter falta. Mas agora é trabalhar para a gente conquistar a vitória já no próximo jogo - finalizou Dico, lembrando do gol anulado de Rafael Oliveira e já projetando o duelo com o Fortaleza, na próxima sexta-feira.




Na manhã desta segunda-feira, o grupo já se reapresentou para um trabalho leve na academia. A tarde é de folga e descanso para os jogadores. Na terça-feira, eles treinam à tarde, na Maravilha do Contorno, na última atividade antes de a delegação botafoguense viajar para Fortaleza na manhã da quarta-feira. O clube ainda não informou se o time treina na capital cearense, onde joga na sexta-feira contra o Leão do Pici, às 19h, na Arena Castelão.

Fonte: Globo Esporte Paraíba


Nenhum comentário :
Write comentários

Todo e qualquer conteúdo publicado nos comentário do Actual Esporte é de total responsabilidade de quem os aferir.