JG INFORMÁTICA

Recarga de toner de impressora HP, SAMSUNG e manutenção de TECLADOS DE NOTEBOOK,

além de manutenção em geral é com a JG INFORMÁTICA.

Entre em contato pelo fone: (83) 9 8115-7098.

Org. Jailson Galdino

Horóscopo diário

6 de maio de 2017

Schülle tenta deixar a vantagem de lado contra o Treze: que viver o jogo

Botafogo-PB pode até perder por um gol de diferença para o Galo, no domingo, no Almeidão, que ainda assim conquista o título do Paraibano. Mas o técnico do Belo quer jogar para vencer em casa.

Se vencer, empatar ou mesmo se perder por um gol de diferença no domingo, para o Treze, o Botafogo-PB vai se tornar o campeão paraibano de 2017. Uma vantagem e tanto, que se torna ainda maior pelo fato de o palco ser o Almeidão e, provavelmente, com um bom público, a maioria dele de botafoguenses, claro. Mas nos bastidores do Belo, essa vantagem sequer é mencionada. Pelo menos é o que garante o técnico Itamar Schülle, que assegura também que o objetivo do time é conquistar mais uma vitória para confirmar e fechar com chave de ouro a conquista estadual.
Schülle manteve nesta semana a estratégia de fechar os treinos do Belo antes da final (Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com)

Schülle sabe que a vantagem existe, é claro, e que é bem robusta. Mas, segundo ele, a estratégia adotada internamente no Botafogo-PB é "fingir" que essa vantagem não existe e entrar em campo no domingo para vencer mais uma vez, assim como fez no último domingo, ao bater o Treze por 3 a 2 no Amigão.

Se vencer, de fato, o Belo vai atingir a sua 17ª vitória em 22 jogos. Um feito e tanto. É o que treinador, membros da comissão técnica e jogadores botaguenses querem. E é porque querem isso que a vantagem adquirida tem sido deixada de lado na Maravilha do Contorno. Tudo para evitar que a concentração se perca, para evitar o clima de oba-oba e para evitar um deslize inesperado.

- Isso eu tenho deixado bem claro na mente de cada atleta e está na minha também. Nem eu, nem ninguém aqui da comissão, nem os atletas pensam em ter uma vantagem. Se ela foi conquistada, foi com mérito, foi com luta, frente a um grande adversário, mas isso já faz parte do passado. Nós temos que viver o jogo de domingo, fazer uma grande atuação, estarmos concentrados todo o tempo, buscar a vitória, para que a gente consiga o nosso objetivo, e o objetivo é a vitória. Então nós temos que lurtar por ela, e assim tem sido a nossa tônica aqui, a nossa conversa, e a concentração de nós todos é em cima disto: que a gente possa fazer uma partida equilibrada e buscar uma vitória.

Por ter melhor campanha geral, o Belo entrou nesta final jogando por empate no somatório dos dois jogos para conquistar o título. Como venceu a partida de ida, ampliou essa vantagem e agora pode perder por até um gol de diferença. Uma situação relativamente tranquila, mas que, segundo Schülle, tem razão de ser. Uma razão que vem desde o ano passado.
Antes do treino desta sexta-feira, Schülle conversou com alguns jogadores no campo do Almeidão (Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com)

Para o treinador botafoguense, a consistência tem sido a marca desse time desde que ele chegou ao clube para a temporada passada. As boas campanhas no Paraibano, na Copa do Brasil e na Série C de 2016 fundamentam isso. Não houve títulos ainda. Mas a expectativa é das melhores. E o "quase" nas competições anteriores pode estar bem perto do fim.

- Sonhos nós temos, anseios, e a gente tem chegado nessas finais, justamente pelo trabalho, pela continuidade do trabalho, que eu acho essencial no futebol de hoje. Pode não ter vindo o título, mas o Botafogo brigou por cada decisão. Fez uma Copa do Brasil memorável (em 2016), que nunca tinha acontecido, e disputou no ano passado, até a última partida, o acesso (à Série B). Chegou à decisão do Campeonato Paraibano e neste ano estamos aqui de novo, brigando numa decisão, e sabemos da importância do título - listou Schülle, lembrando os bons momentos do time sob o seu comando.

Claro que houve más campanhas. As participações na Copa do Nordeste de 2016 e na deste ano e também na Copa do Brasil deste ano foram fraquíssimas. Mas Schülle prefere se apegar aos bons momentos. E ele vai em busca do seu auge no clube. Ele que está na sua segunda passagem pelo Botafogo-PB e disputa a sua terceira final à frente do Belo: em 2010 e em 2016 ficou com o vice-campeonato. Agora, quer, enfim, erguer a sua primeira taça de campeão pelo time da Estrela Vermelha.

- Eu sei o quanto é bom ser campeão. Mas nós sempre respeitamos o nosso adversário. Sempre foi assim aqui, sempre tivemos aqui muita humildade, e a nossa palavra aqui sempre foi isto: trabalho e dedicação. Isso a gente tem mantido durante esta semana para que a gente consiga no domingo esse tão esperado título - finalizou.

Botafogo-PB e Treze vão entrar em campo e iniciar o segundo jogo da final do estadual às 18h30 do domingo, no Almeidão. Expectativa de bom público. Tendência de mais um grande jogo. O dia vai terminar com um dos grandes do Estado comemorando o título de campeão Paraibano de 2017. 

Fonte: GloboEsporte/PB

Nenhum comentário :
Write comentários

Todo e qualquer conteúdo publicado nos comentário do Actual Esporte é de total responsabilidade de quem os aferir.